segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Os Sinais do Corpo



Nossos medos, dificuldades e ansiedades podem deixar marcas na pele, no coração e em diferentes partes do organismo.


- Cada função, uma emoção:

• Problemas de pele e pulmão: dificuldade de relacionamento.
• Problemas de fígado e intestino: raiva contida.
• Problemas no rim: dificuldade de adaptação a novos espaços.
• Problemas no coração e nos vasos sanguíneos: dificuldade para lidar com a pressão do dia-a-dia.
• Problemas em músculos, ossos e cartilagens: angústia diante dos altos e baixos do cotidiano.
• Problemas na tireóide: excesso ou falta de vontade de realizar qualquer atividade.


- Cada doença, uma sentença:

• Hipertrofia (obesidade e câncer): enfrentamento de adversidades.
• Disfunções (problemas gastrintestinais e epilepsia): fuga de situações ameaçadoras.
• Inflamações (doenças autoimunes e ação de bactérias e vírus): resignação diante da necessidade de se submeter a algo.
• Escleroses (reumatismo e cálculo nos rins): paralisia ante uma imposição da vida.


- Quando os gestos nos revelam :

Somos plenos de sutilezas. E, ingenuamente, achamos que é possível enganar – o outro ou até nós mesmos – por meio das palavras. Vamos às explicações: às vezes, dizemos algo, mas os braços, e os movimentos de sobrancelha ou pés vão no caminho oposto.

Por exemplo: a mandíbula tensa pode demonstrar problemas com raiva contida, o pescoço excessivamente rígido, medo do descontrole, o diafragma contraído, ansiedade, e olhos arregalados e vigilantes, medo do contato com o outro.

Se diz que o corpo vai bem quando o fluxo de energia interna (os meridianos) não encontra obstáculos.

“A energia do rim e da bexiga, que fazem parte do elemento água, tem relação com o sentimento de medo e vai afetar a coluna. Já o coração, referente ao elemento fogo, suscita a ansiedade e pode enrijecer o pescoço e os ombros”.

Shiva Mudrá



Shiva Mudrá

Shiva é considerado o criador mitológico do yoga

Shiva Mudrá: Para meditação (dorso da mão positiva pousa sobre a palma da mão negativa).
Mãos em concha, dorso de uma em cima da palma da outra mão, uma sobre a outra, descansam sobre as pernas

Neste mudrá devemos sentir nossas mãos como um cálice no qual recebemos a preciosa herança milenar de força e sabedoria. Amplifica nossa receptividade.

Expressa respeito à ancestralidade, sinceridade e receptividade.
É um gesto de silêncio e ao fazê-lo devemos imaginar que deste “cálice com as mãos” estamos disponíveis para receber todos os benefícios de uma prática (sadhana) de mantra.

É um mudrá normalmente usado em inícios de rituais, práticas de yoga, nos mantram de Shiva e de algumas escolas budistas.

domingo, 30 de agosto de 2009

Apána Mudrá

Apána em sânskrito designa um dos cinco pricipais tipos de prána.

Sua polaridade é negativa; sua direção é para baixo; fica situado na região do ânus; é de cor roxo-alaranjado e tem função excretora.

Este mudrá conecta polegar com mínimo e anelar, é um mudrá magnético que tem por finalidade criar um circuito que retém e/ou estimula o apána.

Feito sozinho tem efeito de placebo.

Unindo este mudrá a mentalizações específicas, a um respiratório e a ásanas gera o resultado esperado.

Veja também o prána mudrá.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

As Cores nos Alimentos


Parte 3


As cores dos alimentos

· Vermelho: Beterraba, rabanete, berinjela, maça vermelha, amora preta, pimentão vermelho e todas as frutas com casca vermelha.

· Laranja: Suco de laranja, manga, melão, pêssego, damasco, cenoura.

· Amarelo: Pimentão amarelo, toranja, milho, batata doce, melão, banana, abacaxi, abóbora, limão.

· Verde: todos os legumes verdes

· Azul: Ameixa e todas as frutas de cor azul

- Violeta: berinjela, brócolis roxo, uva roxa, amora

Prônam Mudrá



Prônam Mudrá

Pronam mudrá ou Anjeli mudrá ou Namaskara mudrá

Usado para mantra e ásana (palmas das mãos unidas à frente do peito).
Mãos unidas a frente do peito, abertura e fechamento de um ritual, da prática (sádhana), saudação, agradecimento.

Nesta senha, a mão de polaridade positiva se espalma na de polaridade negativa, fechando um importante circuito eletromagnético que faz circular a energia dentro do próprio corpo e recarregá-lo, especialmente se executado durante ou após os mantras. Nos ásanas, tende a proporcionar mais senso de equilíbrio e por isso mesmo é mais utilizado nos exercícios de apoio num só pé.

Este é um gesto de cumprimento, reverência, saudação, reflexão e interiorização, por isso tem característica reflexológica forte. É o que usamos ao iniciar e terminar prática de mantra. No pronam mudrá Jiva, as mãos ficam na altura do peito. No pronam mudrá Atmam (alma), as mãos elevam-se na altura do rosto.

Representa ainda a união (yoga) de todos os sentimentos do yoguim.

É usado no tantra como um cumprimento junto com o mantra Om Hara ou Hare Om, que pode ser traduzido como “salve a totalidade”.

No Budismo esse gesto chama-se Gasho e representa uma saudação: todos são Budhas, todos são iluminados, eu saúdo toda a existência.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

A Busca


A busca

O que busca ardentemente fora, está dentro;
A luz que tanto procura, encontra-se no escuro dos olhos fechados;

O que deseja ouvir, ressoa no silêncio;

A tristeza está na alegria, assim como a alegria na tristeza.

A plenitude está além delas.

Matsya Mudrá


Matsya literalmente designa peixe em sânkrito. Dentro da Mitologia foi o peixe que viu Shiva ensinando yoga para Parvati e fazendo as técnicas conseguiu evoluir e tornou-se humano.

É uma metáfora da mitologia hindu para dizer que as espécies evoluiram saindo da água, virando animais terrestres e depois primatas, humanos, etc. Acho que os hindus descobriram a teoria da evolução das espécies bem antes que Darwin.

Outra história mitológia é que matsya seria um avatar de Vishnu que recuperou os vêdas do fundo dos oceanos para que Brahma pudesse criar o universo onde vivemos

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Kúrma Mudrá

Kúrma é tartaruga em sânskrito, a primeira variação parece mais uma tartaruga, mas a segunda é abstrata.

Kúrma também pode designar o segundo avatar de Vishnu que salvou os dêvas dos asuras, já que eles tinham perdido os seus poderes devido ao desdém que Indra fez a um sábio que o amaldiçoou.

Uma outra história é que os hindus acreditavam que a terra tinha formato de uma meia laranja que estava apoiada sobre quatro elefantes que por sua vez estavam sobre uma tartaruga gigante

O Uso Terapêutico das Cores


Parte 2


Uso terapêutico das cores

A cor vermelha:

· age sobre o sistema muscular
· estimula os nervos sensoriais
· age sobre a glândula supra-renal e libera adrenalina no corpo
· Bom para problemas circulatórios
· Ajuda em resfriados e anemias e em casos de anemia
· NÂO use para inflamações, nem para distúrbios emocionais, além de não ser aconselhável a quem tem problemas cardíacos.


A cor Laranja:

· age sobre o sistema circulatório
· ajuda em caso de espasmos e cólicas
· enfermidades do peito, reumatismo crônico e asma
· inflamação dos rins e calculo na vesícula
· alguns distúrbios digestivos
· recarrega o corpo etérico (matriz do corpo físico)


A cor Amarela:

· ativa os nervos motores
· estimula a produção de bílis
· ajuda as glândulas linfáticas
· ajuda na eliminação/ acumulo de óxido cálcio em casos de artrite
· regulador de peso
· doenças de pela
· esgotamento nervoso
· NÂO use em casos de colapso nervoso


A cor Verde:

· age no sistema digestivo
· alivia a tensão e relaxa o coração
· ajuda a aliviar dores de cabeça e nevralgia
· estimula a glândula pituitária
· Bons em casos de choque
· controla a pressão sanguínea (verde-claro para pressão alta, verde escuro para pressão baixa)


A cor Azul:

· age sobre o sistema respiratório
· acalma a mente e os nervos
· bom para enfermidades da garganta, picadas, machucados e coceiras
· insônia e dores menstruais
· inflamações nos olhos
· problemas de dentição
· em casos de choque


A cor Violeta:

· distúrbios mentais, nervosos e emocionais (se excessivos)
· mantém o equilíbrio de potássio no organismo
· controla a fome excessiva
· purifica o organismo, acalma e suaviza
· NÂO use se estiver deprimido

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Khatwa Mudrá





Khatwa literalmente designa cama em sânskrito.

E é o que o mudrá representa: uma cama

Por isso é importante você deixar os dedos apontando para baixo e o mais retos o possível para não deixar os pés da cama "bambos".

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

As Cores e Sua Influência


Parte 1


Veja abaixo algumas influências das cores em nosso comportamento e em nosso organismo baseadas na Cromoterapia:

A cor Preta é uma cor que dá força as outras cores, quando usado com vermelho, dá poder físico, quando usado com cor-de-rosa dá poder social, e com amarelo poder intelectual.

A cor Marrom está ligada a mãe Terra, as coisas sólidas, permanentes, portanto,nos mantêm interligados com padrões antigos, sendo necessário se abrir para novas idéias.

A cor Cinza é a cor da abnegação, assim como também do medo e do impedimento em expressar o verdadeiro EU, a utilização repetidas vezes desta cor faz com que se crie uma barreira de acesso às pessoas.

A cor Amarela nos ajuda nos estímulos da mente, desenvolve nossa racionalidade, nos deixando aberto para novas idéias, expande nossos horizontes, tornando nossa vida ais divertida.

A cor Laranja é o raio da vitalidade, do movimento, a cor que desperta o artista que há dentro de todos nós, desenvolve toda nossa capacidade criativa. É uma cor de alegria, nos livra de inibições e alivia depressões, as tonalidades mais claras do Laranja denotam caridade e necessidades de se envolver com as pessoas.

A cor Vermelha é a cor da vida, pois nosso sangue é vermelho, é uma cor energizadora, da determinação, estimula o amor a continuar fluindo, os tons mais escuros do vermelho podem denotar autocompaixão ou crueldade, esta cor nos dá coragem quando sentimos medo além de ativar nossas emoções e impulsos sexuais.

A cor Rosa é a cor do amor incondicional, transforma o amor humano em uma força espiritual pura, é suave e nos acalma, vermelho róseo nos permite sermos senhores da circunstância, o verde róseo se expressa através da tranqüilidade, o dourado róseo emite vibrações de amo muito elevadas. O rosa quando derramado sob nos reflete como uma “chuva sagrada”.

A cor Violeta é a da transmutação, a dos sacrifícios, porque significa abandonar uma personalidade, um desejo inferior para nossa alma manifestar-se através da vontade divina, independente das conseqüências ao corpo físico.Traz grande magnitude quando acompanhada pela cor amarelo-dourado.

Já a cor Roxa é a cor dos grandes oradores, assim como a cor utilizada para adornar de altares, pois é uma cor que emana o poder sobre o povo. Todas as suas tonalidades devem ser utilizadas para transformar energias negativas em positivas.

A cor Índigo é purificadora, capaz de limpar as impurezas de nossas emoções e o nível mental do nosso ser, cor dos grandes mestres científicos, esta cor nos auxiliará quando ansiarmos por verdades espirituais, bom para meditação ou para escrever.

A cor Azul abrange as propriedades terapêuticas, cor da paz e da serenidade e da beleza, á cor que se refere ao que há de melhor e mais elevado na humanidade, possui efeito refrescante e tranqüilizador. O azul claro é um espelho para ver e ouvir melhor o reflexo de planos superiores, o azul marinho denota comando sobre as situações, podendo revelar características negativas como uma pessoa convencida da própria superioridade, ou uma pessoa emocionalmente instável, o azul-real indica lealdade e integridade, e pessoas que não gostam de estar no meio da multidão.

A cor Verde esta relacionada com a forma que utilizamos nossa energia, esta cor é benéfica para o sistema nervoso, nos ajuda a relaxar e desfazer problemas, é a cor do equilíbrio, se estiver ligada ao centro do coração sentiremos simpatia e compaixão pelos outros, é a cor da esperança e também está relacionada com o amor-próprio e nossos auto-conceitos.

A cor Turquesa, sendo a mistura do verde com o azul nos proporciona a capacidade de acalmar, relaxar e enfrentar um grande número de pessoas, pois é um calmante cerebral.

A cor Magenta é a mistura do vermelho com o violeta, formada por cores poderosas nos dá autoridade, poder de comando e capacidade de perceber instintivamente se uma pessoa é boa em alguma tarefa.

A cor Branca denota pureza, no entanto podem revelar uma tendência ao perfeccionismo, as pessoas sentem obrigação de usá-lo, pois precisam da energia do branco a sua volta e apesar de conter todas as cores deve ser utilizada sempre com adornos coloridos, para não desgastar a energia.


Na Yoga, as cores mais utilizadas são o azul e o laranja.

-> O azul tem poder sedativo, é calmante. Você pode mentalizá-la para ajudar sedar a dor.

-> O laranja tem pode de calor, é estimulante. Você pode mentalizá-la para estimular determinados pontos do corpo (músculos, tendões, tecidos, etc).



Frase: Brhad Aranyaka Upanishad

O que está além é o Todo.
O que está aqui também é o Todo.
Do Todo tem origem o Todo.
Do Todo, tirando-se o Todo, o Todo permanece.
Brhad Aranyaka Upanishad

Katakavadana Mudrá


Kataka em sânskrito é um fio trançado de palha, uma pulseira ou um cordão.

Vadana é a boca, o rosto, ou a parte da frente.

Katakavadana é um tipo de pulseira de rosto, semelhante àquele tipo de adereço que é preso na orelha e no nariz das moças indianas.

domingo, 23 de agosto de 2009

Chakras - Tabela

SÂNSCRITO

PORTUGUÊS

LOCAL

ENERGIA

GLÂNDULA

COR

Sahasrara

Coronário

Topo da Cabeça

Espiritual

Pineal

Lilás

Ajna

Cavernoso

Testa

Visão

Pituitária

Índigo

Visuddha

Faríngeo

Garganta

Comunicação

Tireóide

Azul

Anahata

Cardíaco

Coração

Amor

Timo

Verde

Manipura

Umbilical

Plexo Solar

Intelecto

Pâncreas

Amarelo

Svadhisthana

Esplênico

Baço

Sexual

Supra Renal

Laranja

Muladhara

Sacral

Cóccix

Auto-afirmação

Seminais

Vermelho

Kapota mudrá


Kapôta significa pombo em sânscrito.

Este mudrá simboliza como se você tivesse segurando um pombo entre as mãos.

sábado, 22 de agosto de 2009

Hamsa mudrá


Hamsa significa cisne em sânscrito.
Este mudrá representa o passáro que serve como montaria para Brahma.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Poema Se - Professor Hermógenes


Poema Se
(Professor Hermógenes - Hatha Yoga)

Se, ao final desta existência,
Alguma ansiedade me restar
E conseguir me perturbar;
Se eu me debater aflito
No conflito, na discórdia...
Se ainda ocultar verdades
Para ocultar-me,
Para ofuscar-me com fantasias por mim criadas...
Se restar abatimento e revolta
Pelo que não consegui
Possuir, fazer, dizer e mesmo ser...
Se eu retiver um pouco mais
Do pouco que é necessário
E persistir indiferente ao grande pranto do mundo...
Se algum ressentimento,
Algum ferimento
Impedir-me do imenso alívio
Que é o irrestritamente perdoar,
E, mais ainda,
Se ainda não souber sinceramente orar
Por quem me agrediu e injustiçou...
Se continuar a mediocremente
Denunciar o cisco no olho do outro
Sem conseguir vencer a treva e a trave
Em meu próprio...
Se seguir protestando
Reclamando, contestando,
Exigindo que o mundo mude
Sem qualquer esforço para mudar eu...
Se, indigente da incondicional alegria interior,
Em queixas, ais e lamúrias,
Persistir e buscar consolo, conforto, simpatia
Para a minha ainda imperiosa angústia...
Se, ainda incapaz
para a beatitude das almas santas,
precisar dos prazeres medíocres que o mundo vende...
Se insistir ainda que o mundo silencie
Para que possa embeber-me de silêncio,
Sem saber realizá-lo em mim...
Se minha fortaleza e segurança
São ainda construídas com os materiais
Grosseiros e frágeis
Que o mundo empresta,
E eu neles ainda acredito...
Se, imprudente e cegamente,
Continuar desejando
Adquirir,
Multiplicar,
E reter
Valores, coisas, pessoas, posições, ideologias,
Na ânsia de ser feliz...
Se, ainda presa do grande embuste,
Insistir e persistir iludido
Com a importância que me dou...
Se, ao fim de meus dias,
Continuar
Sem escutar, sem entender, sem atender,
Sem realizar o Cristo, que,
Dentro de mim,
Eu Sou,
Terei me perdido na multidão abortada
Dos perdulários dos divinos talentos,
Os talentos que a Vida
A todos confia,
E serei um fraco a mais,
Um traidor da própria vida,
Da Vida que investe em mim,
Que de mim espera
E que se vê frustrada
Diante de meu fim.
Se tudo isto acontecer
Terei parasitado a Vida
E inutilmente ocupado
O tempo
E o espaço
De Deus.
Terei meramente sido vencido
Pelo fim,
Sem ter atingido a Meta.

Fonte: http://www.profhermogenes.com.br

Hatha Yoga


Curiosidades...



Hatha Yoga

"Ha" significa sol;

"Tha" quer dizer lua.


Hatha Yoga é um conjunto de práticas pelas quais se busca a união, ou integração, dos princípios masculino e feminino, de espírito e matéria, corpo e alam, e assim por diante.

Fonte: Yoga Postural – Silvio Camargo

Gupta Mudrá


Gupta significa protegido, guardado, preservado; Também pode designar secreto.

Uma boa parte do conhecimento do Yoga é chamado de gupta vidyá, ou seja, conhecimento protegido, conhecimento preservado ou conhecimento secreto. São formas de execução de terminadas técnicas e até mesmo algumas técnicas que não existem nos livros e só são passadas de boca a ouvido, de mestre a discípulo.

Este tipo de conhecimento só é passado depois do candidato passar por várias provas iniciáticas para provar o valor e a lealdade.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Os Ásanas e Alguns Conselhos


Os Ásanas e Alguns Conselhos


- Os Ásanas:


Ásanas são posições que purificam e fortificam o corpo e a mente. Sua prática traz estabilidade, saúde, leveza, agilidade, equilíbrio, resistência e grande vitalidade, além de afastar doenças.


A prática dos ásanas desprovida de atitude interior, do apoio dos yamas e nyamas e sem conhecimento do objetivo a ser alcaçado é mera crobacia. Deve-se compreender que a prática dos ásanas não é ginástica.


As posições atuam não só no plano físico, mas também no plano sutil (emocional e mental, tais como: pensamentos, emoções, desejos e sentimentos).


Um ásana corretamente praticado traz leveza, disposição e conforto para o corpo e para a mente.



- Conselhos para a Prática – Ásanas:

  1. O local para prática deve ser limpo, arejado e silencioso.
  2. É aconselhável tomar banho antes, usar roupa limpa e confortável.
  3. A aparência deve ser simples, cabelos presos, sem maquiagem ou adereços.
  4. Os intestinos e bexiga devem estar vazios.
  5. Não pratique ásanas avançados com o estômago cheio, aguardo pelo menos duas horas após as refeições.
  6. Os melhores horários para a prática são quando o sol nasce e quando ele se põe. Nesse momento existe mais prána no ar.
  7. Durante toda a prática a inspiração e expiração devem ser feitas pelas narinas, nunca pela boca.
  8. A respiração deve ser abdominal, ou então completa.
  9. Pode-se acender um incenso no local de prática e utilizar uma música suave (como: sons da natureza, mantras, música indiana, new age, etc)
  10. Todos devem esforçar-se para praticar os ásanas o mais perfeitamente possível.
  11. Se você sentir grande desconforto ou incômodo siginifica que está fazendo alguma coisa errada então busque orientação com alguém experiente.
  12. Se tiver algum problema de saúde, consulte seu médico antes de pensar em praticar yoga.


- Não devem praticar as posições invertidas:


Mulheres durante o período menstrual

Pessoas que sofram de tonturas ou pressão alta

Pessoas com infecção nos ouvidos ou deslocamento de retina



- Todos os ásanas tem 3 fases:


ARDHA: meio (indicado para pessoas idosas)

RAJA: completo, perfeito (indicado para aqueles que possuem superflexibilidade)

MAHA: mais que completo


Fonte: Yoga – Corpo e Alma (Regina Shakti)

Garbha-mudra


Garbha significa útero em sânscrito.
Assim como criança, parte interior, entre (no meio), etc.
Os dedos médios entre as palmas das mãos representam o feto e as mãos o útero.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Olhar-se


Olhar-se

Olhando-nos,

vemos os outros;

Conhecendo-nos,

aprendemos dos outros;

Abraçando-nos,

aceitamos os outros,

E nos amando,

amamos os outros.

Pois nossa essência é a mesma.

Kali mudrá


Kali mudrá

Kali é uma divindade hindu feminina, que simboliza a força e a determinação.
Faça essa evocação para conseguir cumprir os objetivos mentalizados nessa nova fase que chega.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Frases de Sri Nisargadatta Maharaj


Limite os seus interesses e as suas atividades ao que seja necessário para você e para cobrir as necessidades dos que dependem de você.
Reserve todas as suas energias e todo o seu tempo para romper o muro que a mente construiu à sua volta.

Yôni mudrá


Yôni mudrá

Yôni é o órgão sexual das mulheres.
Na virada do ano, mesmo os homens podem pedir para despertar o lado feminino, evocando graça, gentileza e beleza.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O Ser

O Ser


Primeiro veio a consciência

Que brilhou

E o Ser acendeu

Depois veio o som (om)

Que vibrou

E o Ser estremeceu

Depois veio o prana

Que soprou

E o Ser se estendeu

Depois veio a inteligência

Que analisou

E o Ser conheceu

Depois veio o ego

Que separou

E o Ser disse “eu” (se perdeu)

Shivalingam mudrá




Shivalingam mudrá

Lingam é o órgão sexual masculino, o símbolo fálico da criação.
Ideal para despertar o poder da sua criatividade

domingo, 16 de agosto de 2009

Como Treinar a Mente


Como treinar a mente

A ansiedade mexe diretamente com a respiração, o que prejudica a entrada e a saída do ar e provoca a sensação de coração apertado. Para evitar essa angústia, pare e respire fundo, ou melhor, expire e inspire profundamente algumas vezes, afastando assim o pessimismo e permitindo que o bom da vida volte a tomar conta de você.

Antes de dormir, repasse mentalmente como foi o dia. Lembre-se de cada ato, da reação que teve diante de alguma atitude sua ou do próximo, rememore o que foi capaz de mudar seu estado de espírito, o que provocou sua tristeza ou o deixou alegre. Adquirir esse comportamento desperta nossa atenção e, dessa forma, vamos nos preparando gradativamente para meditar. Prestar atenção na respiração é outra forma de concentrar a mente e funciona como uma meditação.

"Assim como eu quero ser feliz e evitar o sofrimento, outros também querem a felicidade".

"Se a água barrenta ficar quieta por muito tempo, o barro se depositará no fundo e a água se tornará clara. Na meditação, quando o barro de seus pensamentos inquietos começa a depositar-se, o poder de Deus começa a refletir-se nas águas claras de sua consciência."
Essas palavras do mestre indiano Paramahansa Yogananda

Libertar o homem de seu tríplice sofrimento: a doença física, as desarmonias mentais e a ignorância espiritual

A essência do zen é o estado de meditação em busca da não-dualidade. "Temos que ultrapassar os limites da mente, que considera o gosto/não gosto, amo/odeio, apego/aversão.”

“A pessoa sábia é tranqüila em qualquer circunstância, como se nada a perturbasse".

As práticas levam ao controle da respiração, que, por sua vez, diminui a pressão sangüínea, aumenta a circulação e desintoxica o organismo.

Durga Mudrá


Durga Mudrá

Durga é uma personagem da mitologia hindu, existem mantras que dizem que a força de Brahma, Vishnu e Shiva juntos não podem vencer Durgá.

O mudrá faz alusão ao machado de guerra que Durgá usa. Por isso faça o mudrá como se estivesse segurando o cabo do machado.

Outra definição deste mudrá: Durga é a mãe cósmica. É um gesto de força que facilita o contato com a mãe universal. “Perceba o universo e peça sua proteção. Ele existe para nos ajudar”

sábado, 15 de agosto de 2009

Frase

Só negando pode alguém viver. A afirmação é cativeiro.
Questionar e negar é necessário. É a essência da rebeldia e sem rebeldia não pode haver liberdade.

Áváhita Mudrá


Aváhita Mudrá é usado comumente no púja e ásanas.
Significa: evocar, pedir.
Também designa um boque de flores ou ramalhete que é oferecido.

Particularmente, acho este um dos mais lindos mudrás.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Ardha Súrya Mudrá



Ardha
Súrya Mudrá

Este é o gesto do sol nascente (savitura), do sol que nasce sobre as águas.
Simboliza sempre um início, nascimento, crescimento, evolução.
Faz com que o arquétipo do sol, como grande dispensador de vida, vibre em todos os nossos corpos e na nossa psique. Faz-nos vibrar no cumprimento de onda dos atributos da vida, da força geradora, criadora, do poder e da iluminação.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Abhaya Mudrá




O gesto da proteção ou destemor; a mão direita fica erguida e com os dedos levantados. Associado à benevolência do buddha Shakyamuni, que domou um elefante selvagem com este gesto. Também é o gesto do dhyani-buddha Amoghasiddhi.

È o gesto que significa proteção e doação. Com essa postura das mãos, podemos pedir proteção para as pessoas que amamos e desejar prosperidade para elas.

Frase - Hermógenes

"Pratiquem com o espírito de criança! Mais livres, com poucos julgamentos, observando tudo com encantamento."
(Hermógenes)

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Yônilingam mudrá


Yônilingam Mudrá


Gesto que representa a fusão de energia entre Shiva (masculino) e Shakti (feminino).

Na opinião de muitas correntes tântricas, é o mais forte de todos os mudrás quando usado corretamente.

Frase

O prazer adormece-o e a dor desperta-o.
Se não quer sofrer, não se deite para dormir.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Átman Mudrá



Átman Mudrá


Átmam mudrá, para respiratório e mantra (as mãos formam um vórtice diante do swádhisthána).

Este selo tem um efeito semelhante ao anterior, só que agora com os dez dedos envolvidos, formando o circuito de alta amperagem, e localizado diante de um chakra principal. Cria um empuxo que ascensiona a energia sexual coluna acima.

Trata-se de um mudrá magnético e forte para práticas avançadas. Produz forte dinamização dos chakras e desperta a kundalini.

domingo, 9 de agosto de 2009

Trimurti Mudrá









(trimurti mudrá atman e trimurti mudrá prithivi)

Trimurti Mudrá



Usado para ásana (os dedos indicadores e polegares formando um triângulo).

Este mudrá é simbólico e representa a trimurti hindu, Brahmá, Vishnu e Shiva. Por ter poucos efeitos, é mais utilizado como suporte em movimentação de braços durante a execução de ásanas.
Trimurti Mudrá

É o mudrá da pirâmide ou trindade divina (Brahma, Vishnu, Shiva), também chamado de gesto das “três faces”, e representa a consciência.

Serve para estímulo geral dos chacras muladhara, anahata e ajnã. Quando as mãos se voltam para baixo, em direção ao solo, denomina-se trimurti mudrá prithivi (terra); se voltadas para cima, com os braços elevados, chama-se trimurti mudrá vayu (ar).

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Garuda Mudrá

Garuda Mudrá

O gesto da águia, c
om as palmas das mãos voltadas para dentro em direção ao cardíaco (anáhata), tocando os polegares que formam o bico da ave enquanto os outros dedos formam suas asas.

Garuda é o veículo de Vishnu e Lakshmí, representa o fogo dos raios do sol, é o senhor da palavra alada e símbolo de coragem, força e clarividência.

A chama violeta novamente vai se localizando somente nas mãos e pés.

Aos poucos a chama violeta vai se transformando em luz dourada do sol, fechando assim essa prática, fazendo uma inspiração profunda e retornando.
Este gesto traz a intenção de leveza e liberdade, clareando e ampliando nossa consciência, e nos tornando assim mais tranqüilos, equilibrados e harmonizados.


Fonte: http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=2324

Padma Mudrá

Padma Mudrá

Unindo polegares e mínimos, com os pulsos unidos enquanto os outros dedos ficam bem esticados e separados uns dos outros.

Representa a flor de lótus, o símbolo da harmonia cósmica, da sublimação da energia densa em sutil.

Visualize que as suas mãos vão tomando a coloração violeta ou lilás e elas vão se transformando em chamas dessa cor, aproveite e visualize também os seus pés se transformando em chamas dessa mesma cor. Essa fogueira de chama violeta que queima por dentro e por fora purifica a energia.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Os Mudrás - Correspondência com os Chakras e os Dedos

Os mudrás também desempenham um importante papel na arte da cura indiana; eles são utilizados para despertar as energias nos chakras e também para harmonizá-los.

Os chakras são centros de captação, armazenamento e distribuição de energia (prána). Existem milhares desses centros espalhados no corpo, porém os mais importantes são os setes que se encontram na extensão da coluna e cabeça, esses são os mais importantes por estarem ligados a glândulas do nosso corpo físico.

No quadro abaixo está a correspondência dos dedos com os chakras, as glândulas e os elementos que constituem a matéria (tattwas).

- Relação dos dedos com os mudrás:


Quando indicamos que alguém deve “pensar na vida”, nós o fazemos apontando o dedo indicador (elemento ar) para a cabeça.

Quando queremos nos referir a um gesto sexual, mostramos o dedo médio (elemento fogo).

Utilizamos o dedo anular (elemento água) para unir casais. Casamento = casa (unir) + mento (coração/mente). Não por acaso essa união é o elemento água, que diz respeito a nossas emoções e sentimentos.

Reis e rainhas de todos os tempos usavam anéis no dedo mínimo (elemento terra) para simbolizar a prosperidade sobre a matéria.

O dedo polegar (elemento éter) é o do espírito e representa a elevação. Quando uma situação está bem, costumamos levantar o polegar para representar o fato.

Quando praticamos um mudrá com a mente concentrada (manas mudrá), podemos facilmente estimular os cinco elementos representados nos dedos.

Elemento - Dedo
Terra - Mínimo
Água - Anular
Fogo - Médio
Ar - Indicador
Éter - Polegar


Fonte: diversas


Últimos Posts

Confira também:

Related Posts with Thumbnails